Todos os artigos de Domus

X Congresso de Espiritualidade «A arte de viver em comunhão»

Os institutos religiosos de inspiração carmelita e teresiana vão realizar de 21 a 23 de outubro de 2022 o X Congresso de Espiritualidade sobre a «A arte de viver em comunhão». O tema deste congresso é uma resposta ao apelo do Papa Francisco que convidou toda a Igreja universal a entrar num processo sinodal mais intenso e alargado a todos os cristãos e suas comunidades. Com o lema, «Para uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão», estamos todos mobilizados para acertar o passo, a caminhar juntos na unidade e na diversidade, a sermos comunidades dialogantes e inclusivas, acolhedoras no seu interior e em saída constante, para dar e receber no encontro com os outros, próximos ou distantes.

Por natureza somos seres de comunhão, porque levamos inscritas em nós as marcas da Trindade, mistério relacional e de comunhão. Pelo batismo, estamos assinalados com o Espírito de comunhão que cresce na medida em que saímos de nós para nos relacionarmos com Deus, pela oração, e com os outros, pela escuta e diálogo.

Vimos, com muita alegria, convidá-lo/a para este X Congresso de Espiritualidade, programado pelos institutos de inspiração carmelita e teresiana: Ordem do Carmo, Ordem dos Carmelitas Descalços, Companhia de Santa Teresa (Teresianas), Carmelitas Missionárias e Instituição Teresiana. A experiência da comunhão é o fundamento de toda a sinodalidade nas comunidades cristãs. Por isso, a nossa espiritualidade pessoal e eclesial encontra a sua fonte na comunhão trinitária vertida no espaço e no tempo, no hoje da nossa história. Queremos, assim, sintonizar com toda a Igreja, fortalecer os laços da amizade e da fé com todos os nossos irmãos, que professem ou não a nossa fé. Desejamos que as reflexões e celebrações deste congresso ajudem os seus participantes a acelerar o caminho da escuta e do diálogo, da abertura e do encontro, da relação e da participação comprometida na vida de cada comunidade, deixando sugestões muito concretas e vitais para intensificar a sinodalidade, marca fundamental da identidade cristã.

O programa do congresso será o seguinte:

Dia 21 outubro, sexta-feira

17h00 – Acolhimento
17h30 – Abertura
18h00 – I. Conferência: Encontros e desencontros Igreja-Mundo: a graça difícil da comunhão – P. José Frazão Correia, SJ
19h15 – Vésperas
20h00 – Jantar
21h15 – Vídeo temático

Dia 22 outubro, sábado

08h00 – Pequeno-Almoço
09h00 – Eucaristia
10h00 – II. Conferência: Para uma comunidade à volta de Jesus – Dr. José Carlos Carvalho, UCP Porto
11h00 – Intervalo
11h30 – III. Conferência: A sinodalidade do Papa Francisco – Pe Tiago Freitas, UCP Braga
13h00 – Almoço
15h00 – Painel: Cultura do encontro
1º Jovens em comunhão e missão – Carolina Figueiredo, MTA e Missão País
2º Caminhar com os cristãos de outras confissões – Pastor Jorge Humberto, Aliança Evangélica
3º Ao encontro das periferias – Ir. Fátima Magalhães, STJ
16h30 – Intervalo

17h00 – V. Conferência: Bloqueios e obstáculos à comunhão – Dr. Joaquim Coimbra, Faculdade de Psicologia, UP
18h00 – Intervalo
18h30 – IV. Conferência: A espiritualidade da comunhão – P. Renato Pereira, OCD
20h00 – Jantar
21h30 – Terço
22h30 – Descanso

Dia 23 outubro, domingo

08h30 – Pequeno-Almoço
09h00 – Laudes
10h00 – VI Conferência: Teresa de Jesus, santa e conversável – Ir. Maria Dolores Iglesias, STJ
11h00 – Intervalo
12h00 – Eucaristia no Carmelo de S. José
13h00 – Almoço

O congresso decorrerá na Domus Carmeli em Fátima.

As inscrições já estão abertas e podem ser feitas no seguinte formulário: clicando aqui

Para mais informações contactar: 249530650 ou congressos@domuscarmeli.net

Carmelitas acolhem famílias ucranianas

Carmelitas Descalços acolhem, em Fátima, várias famílias ucranianas, num total de 28, sendo a maioria crianças e adolescentes. Os Carmelitas Seculares foram os primeiros a receber 7 pessoas, no dia 1 de abril, numa pequena casa familiar que disponibilizaram em Fátima. Entretanto de 8 passaram para 10. E no dia 22 de abril, os Frades Carmelitas receberam 18 pessoas. No entanto, toda a família carmelita de seculares, irmãs e frades têm feito de tudo para dar as melhores condições a estas famílias sofridas pelos horrores da guerra. Outras pessoas e instituições têm manifestado a sua solidariedade com esta causa que é de todos nós.

Horário do Tríduo Pascal 2022

No Carmelo de S. José

Quinta-Feira Santa

17h00 – Celebração da Ceia do Senhor
22h45 – Ofício de Leitura

Sexta-Feira Santa

08h00 – Laudes
15h00 – Celebração da Paixão do Senhor
19h00 – Ofício de Leitura

Sábado Santo

08h00 – Laudes
17h00 – Vésperas
22h00 – Vigília Pascal

Domingo da Ressurreição do Senhor

12h00 – Eucaristia
18h15 – Vésperas

50 anos dos Carmelitas em Fátima

A nossa Ordem em Portugal está a celebrar os 50 anos da sua presença em Fátima.

Foi a 16 de setembro de 1971 que se iniciou vida regular nestas terras de Santa Maria. A possibilidade desta presença foi ganhando corpo quando em março de 1971, o casal Wainewright, amigos e benfeitores da Ordem, oferecem a Casa do Carmo, que faz face às atuais Rua Nossa Senhora do Carmo e Avenida Beato Nuno. Por ocasião da visita canónica do Definidor Geral da Ordem, o P. Luís Alberto e as Irmãs Carmelitas, presentes em Fátima, desde 1935, aproveitam para lhe manifestar a sua imensa vontade de terem os seus irmãos carmelitas em Fátima.

Formalizam o pedido a 26 de março.

Ele acolhe com agrado a intenção e empenha-se no projeto, prometendo que os padres chegarão antes do fim do ano. As próprias Irmãs fazem o pedido ao delegado provincial, o Pe. Vasco Dias Ribeiro, que aconselha a esperar, por falta de frades para a nova fundação. As Irmãs não desistem e em simultâneo, a 26 de abril, fazem pedido semelhante ao Bispo diocesano, D. João Venâncio, que acolhe com agrado este desejo. A 6 de maio, a Madre Maria Manuela, faz idêntico pedido ao Padre Geral da Ordem, P. Miguel Ângelo de S. José, que a 31 de maio de 1971 concede a licença e incentivo para a fundação. Pela primeira vez, a 22 maio 1971, fala-se da Casa de Fátima como sendo para o Noviciado, e, estando a casa da Sra. D. Joana Wainewright já disponível, começa-se a falar das obras necessárias.

Os primeiros frades que chegam a Fátima, viveram numa casa cedida pela D. Maria Conceição Dória, portuense e benfeitora do Carmelo de Fátima, enquanto se ultimavam as obras de adaptação da nova casa. A 15 junho 1971, o P. Delegado vem a Fátima tratar da Fundação do Noviciado e vai com o P. Luís Kondor, SVD, falar com o Sr. Bispo. Seguem-se as obras de adaptação. Dizem as crónicas: «umas irmãs trabalhavam em arranjar os tabiques e cortinas, outras pintavam as paredes e iam arranjando a casa» (Crónicas Livro 1, p. 7) e assim a pequena casa familiar pode acolher os primeiros frades no dia 7 de setembro de 1971; são eles, os padres Jeremias Carlos Vechina, superior e mestre de noviços, e António José Carneiro de Araújo, ecónomo, para além de 5 noviços, pois há muito que os formadores viam conveniente separar o noviciado que se encontrava em Avessadas, Marco de Canaveses, do Seminário Menor sediado no mesmo convento». (Crónicas Livro 1, p. 7) No dia 15 de setembro chegam os noviços: Agostinho dos Reis Leal, Mário da Glória Vaz, António Ferreira dos Reis, Luís Filipe Antunes dos Reis Neto e José Maria Martins Araújo, e no dia 16 de setembro de 1971 inauguram a nova comunidade e passam a ter vida regular nesta nova fundação.

No dia 22 de setembro, após um retiro de preparação, estes cinco noviços, tomaram hábito confecionado pelas Irmãs, na Capela do Carmelo de S. José. Registam as Crónicas das nossas Irmãs: «O Santíssimo Sacramento foi levado da nossa Capela para a nova Fundação pelo P. Jeremias, e foram temporariamente emprestados um pequeno Sacrário e uma lamparina». Testemunham as crónicas: «jamais poderemos agradecer às nossas madres tudo quanto fizeram e trabalharam para a vinda dos padres (…) mas finalmente tinham padres carmelitas descalços em Fátima, mesmo ao pé do seu convento».

O apoio das Irmãs estendeu-se pelo tempo, com as suas ajudas económicas, a confeção de refeições na folga da cozinheira, a lavagem da roupa de todos os membros da comunidade, além da partilha de momentos celebrativos e orantes, os recreios e todo o tipo de interajuda como é próprio do carisma teresiano. Santa Teresa de Jesus e S. João da Cruz alegrar-se-iam no céu, por estes seus filhos e filhas reproduzirem no Séc. XX tantos gestos da epopeia fundacional da nova Ordem dos Descalços. As principais festas do calendário litúrgico geral e da Ordem eram vividas em conjunto e com toda a solenidade possível por ambas as comunidades carmelitas.

Para assinalar a memória destes primeiros passos e de toda a vida e missão desta presença ao longo de 50 anos, a atual comunidade, já residente na Domus Carmeli desde 2008, tem celebrado em várias datas este aniversário com as Irmãs, as duas comunidades de Carmelitas Seculares, com os Frades da Província e com os amigos e benfeitores, em vários momentos ao longo do ano. Tenciona ainda publicar uma resenha da história vivida até ao presente.

Retiro de Quaresma com S. João da Cruz

A Escola de Oração realizará, à semelhança dos anos anteriores, um retiro quaresmal, de 25 a 27 de março, sob a orientação do Pe. Joaquim Teixeira e outros elementos da equipa da Escola de Oração. Este retiro destina-se preferencialmente a todos os alunos da Escola de Oração mas também está aberto a todos os que desejem viver um tempo de preparação para a Páscoa do Senhor.

O tema do retiro terá como pano de fundo a espiritualidade de S. João da Cruz que nos ajuda a ordenar os nossos desejos e apetites, a fim de os orientar para o cumprimento da vontade de Deus que nos conduz à união de amor.

Este retiro privilegia a modalidade presencial, mas se preferirem participar à distância também o podem fazer.

O valor da inscrição é de 15 euros e pode fazê-la clicando aqui
Se pretender saber mais informações basta aceder ao site www.escoladeoracao.pt
Poderá também entrar em contacto através do email pastoral@domuscarmeli.net ou pelo telefone 249530650.

Estão abertas as inscrições!